Glúten é uma substância encontrada no trigo, no centeio, na cevada e na aveia, que merece atenção especial por parte daqueles que querem emagrecer.

Para alguns especialistas mais radicais, a ingestão de glúten é extremamente nociva ao nosso organismo e deve ser cortado totalmente da nossa dieta. Eles alegam que ao ser digerido, o glúten acaba aderindo às paredes do intestino e nos intoxicando, o que a longo prazo causaria aumento de gordura na região abdominal (gordura visceral), alergias, enxaqueca e até mesmo depressão. Até onde eu sei, ainda não existem pesquisas científicas conclusivas a esse respeito, que justifiquem cortar alimentos com glúten para sempre da sua dieta, mas existem fortes indícios de que ele pode sim trazer uma série de efeitos indesejados.

Você deve estar se perguntando porque o a polêmica envolvendo o glúten só surgiu agora, quando sabemos que o ser humano ingere massas há séculos. Segundo os especialistas, nunca ingerimos tanta quantidade de glúten como hoje, devido ao excesso de produtos industrializados, em especial pães, macarrões, biscoitos e bolos. Este excesso poderia ser um dos responsáveis por diversas doenças, como obesidade, diabetes, alergias e outras.

É comprovado que o consumo excessivo de glúten diminui nosso metabolismo, o que consequentemente acaba favorecendo o ganho de peso. Além disso, a ingestão excessiva de glúten também pode causar distensão abdominal, gases, dores de cabeça, dores articulares, aumento de peso, problemas vasculares, alergias e uma série de outros sintomas. Eu disse PODE. Como saber se a culpa é realmente do glúten? Fácil, suprima a ingestão por algumas semanas e observe. Já existem diversos produtos no mercado com a ressalva “não contém glúten”.!

Justamente por aderir como uma massa à parede do intestino, o glúten pode acabar prejudicando a absorção de nutrientes importantes, deixando a pessoa com sensação de indisposição, preguiça ou fraqueza. Além disso pode causar retenção de líquidos, te fazendo inchar e prejudicar seu sistema imunológico. Uma dieta de um mês sem ingestão de glúten indicará se ele está efetivamente te prejudicando, caso você se sinta melhor, a resposta é sim. Sem contar que você com certeza vai “secar” se passar um mês sem comer glúten. Você provavelmente sentirá muito mais facilidade para emagrecer e acabará perdendo peso com mais facilidade.

Para acabar de vez com o seu dia, sinto lhe dizer que na maior parte das vezes o glúten vem acompanhado de açúcar nos alimentos industrializados, o que acaba fazendo com que você absorva menos cálcio, aumentando o risco de osteoporose, cáries, insônia, hipertensão e colesterol elevado. Glúten e açúcar não são uma boa combinação.

Tive uma aluna que me procurou com o único objetivo de realizar um fortalecimento abdominal, pois se queixava de acordar com a barriga normal e chegar ao final do dia com a barriga estufada. Sugeri que ela converse antes com um nutrólogo para realizar um exame de avaliação a tolerância ao glúten. Após um mês sem ingerir glúten ela notou uma melhora sensível e depois de três meses não sentia qualquer estufamento na região abdominal.

É preciso deixar claro que, independente de eventuais alergias, o excesso de glúten é nocivo a todos nós. Mesmo quem não nasceu com alergia, pode desenvolver uma intolerância pelo consumo excessivo, em diversos graus. Entretanto, quem nasce com alergia a glúten, a chamada Doença Celíaca, deve suprimir completamente esta substância de sua dieta. Um simples exame de sangue (antitransglutaminase e antiendomísio) pode detectar o problema.

Qual seria a quantidade recomendada de glúten? A menor que você conseguir. Os nutricionistas consultados disseram coisas como “Um ou dois pãezinhos por mês não fazem mal”. Um pão por mês, minha gente? É para chorar? E aí, como é que a gente fica, se sabemos que para hipertrofia muscular os carboidratos desempenham um papel fundamental?

Pois bem, saiba que é possível ingerir carboidratos e cortar o glúten de vez da sua vida. Simples: opte por mandioca, milho ou arroz como substitutos de qualquer alimento que leve trigo, centeio, aveia ou cevada. Sim, existe pão de aipim, pão de milho e macarrão de arroz. Se você for realmente guerreiro(a), pode comer batata-doce no café da manhã em vez de pão com manteiga, o que seria ótimo para seu organismo e para seus músculos. Também pode comer biscoitos de soja. Existem diversas opções. Fiquem atentos aos rótulos dos produtos, o glúten está onde menos se espera e nem sempre ele consta nas tabelinha de informações nutricionais. Procure pela frase: Contém Glúten. É obrigatório informar ao consumidor que o produto contém glúten, mas não a sua quantidade.

Não estou aqui fazendo campanha contra o glúten nem te dizendo que você só vai emagrecer se parar de comer glúten. Estou apenas informando que para algumas pessoas ele pode ter um efeito muito nocivo e sugerindo que quem quiser faça o teste antes de ficar de um a três meses sem comer glúten e avalie se o benefício compensa o sacrifício. Faça o teste e depois me conte.

Para dúvidas, sugestões ou informações de treinos: contato@oseupersonal.com.br
Curta nossa Fanpage: www.facebook.com/Oseupersonal
Siga-me no twitter: www.twitter.com/Oseupersonal
Instagram: Instagram.com/Oseupersonal

, , ,

About Author

Personal trainer e proprietátio da empresa Oseupersonal.

Comments (2)

  1. Manuela Ribeiro 11 de novembro de 2015

    Cada macaco no seu galho! Não fale de Nutrição se você não é Nutricionista, querido.

    1. Oseupersonal 12 de novembro de 2015

      Não sou mas minha mãe é. Tudo que foi dito aqui está embasado pela nutricionista Davenize d’Orleans. “Querida”.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *