Dança ainda é um pouco discriminada no meio da educação física, sobretudo por professores do sexo masculino. Uma pena, pois cada vez mais surgem estudos sérios que comprovam uma série de benefícios não apenas para o corpo, como para a mente também. Minha dica de hoje é essa: dance. Se puder, além das atividades físicas que você já faz, inclua uma dança.

E se você é do tipo que acha que não pode dançar, pense duas vezes. Sim, existem pessoas com mais aptidão do que as outras, mas todo mundo pode dançar, basta persistir, frequentar as aulas. No começo, toda aula de dança, qualquer que seja a modalidade, parece extremamente difícil e dá aquela vontade de sair correndo e aquela certeza de que você nunca vai aprender os passos. Mas isto é apenas uma sensação passageira. Persista e você verá.

Além de trabalhar a agilidade, equilíbrio, flexibilidade e muitas vezes até o condicionamento cardiovascular, a dança queima calorias (dependendo da modalidade pode queimar muitas calorias). Um estudo da UNICAMP comprovou que além de exercitar o corpo, a dança também faz bem para a memória, sobretudo em idosos, estimulando o cérebro a memorizar coreografias ou passos, promovendo um verdadeiro “exercício” cerebral que reflete em melhora visível na memória. Também pode ser uma forma eficaz de combater osteoporose, tonificar a musculatura e atenuar o estresse.

Tenha em mente que quando falo em dança, não me refiro necessariamente à dança de salão, aquela na qual você precisa de um parceiro para dançar. Existem inúmeras modalidades de dança onde o aluno dança individualmente, como Flamenco, Dança do Ventre, Dança Havaiana, Jazz, Lambaeróbica, Hip Hop, Ballet e muitas outras. Como escolher? Fazendo aulas experimentais, conhecendo várias modalidades até encontrar uma que te agrade, que te seja um prazer e não uma obrigação. A experiência me diz que quanto maior a afinidade do aluno com a música, maior a probabilidade de aderir à aula.

As danças em dupla, que costumam se chamadas de “dança de salão”, tem os mesmos benefícios com o plus que permitem uma socialização ainda maior. Se você tem vontade mas não tem parceiro, saiba que ainda assim existem lugares onde você pode fazer aulas, pois disponibilizam professoras e professores para dançar com alunos desacompanhados. Além disso você não precisa fazer uma aula com todos os ritmos, pode escolher se matricular em um ritmo específico, como por exemplo forró, salsa, bolero, samba, merengue, tango, zouk, valsa e tantos outros.

Mesmo que você não tenha (ou ache que não tenha) aptidão para dança, pense com carinho na possibilidade de incluir alguma modalidade na sua rotina. Existem dezenas, com certeza alguma irá te agradar. Pesquise, faça aulas experimentais. Quem começa a dançar dificilmente para. Uma dica aos homens: dança não é coisa de mulher não, viu? Por sinal, mulher adora homem que dança. É um diferencial que costuma ser muito bem visto, vamos deixar esse machismo de lado.

Dance é para todos, não precisa nenhuma aptidão especial, basta dedicação. Dance. E depois volte aqui e me conte como foi.

Obs: Adivinha quem é esse rapaz aí da foto? Rs

 

Para dúvidas, sugestões ou informações de treinos: contato@oseupersonal.com.br
Curta nossa Fanpage: www.facebook.com/Oseupersonal
Siga-me no twitter: www.twitter.com/Oseupersonal
Instagram: Instagram.com/Oseupersonal

 

, , , , , , , , , , , ,

About Author

Personal trainer e proprietátio da empresa Oseupersonal.

Comments (2)

  1. Michele Vermohlen 22 de fevereiro de 2016

    Parabénsssss, eu amo dançar e acho um ótimo exercício. E vc tem razão quando diz que homens que dançam tem um diferencial, pois nada melhor que sair pra balada e encontrar um parceiro para dançar a noite toda. Bjs te sigo no snap.

    1. Oseupersonal 10 de março de 2016

      Né Michele? Continua de olho la no snap e no meu insta tb: @oseupersonal

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *