Com o boom das atividades “outside” e o cansaço da mesmice dos treinos nas salas de musculação, o queridinho do mercado fitness no momento é o treinamento funcional. Mas você saberia me dizer o que é, ou o que pode ser considerado treinamento funcional?

Treinamento funcional é todo o treino que exige do seu corpo como um todo visando otimizar tarefas ou funções que fazem parte do seu dia dia, deixando seu corpo apto para executar essas tarefas da melhor e mais segura forma possível, minimizando assim os riscos de lesões.

Isso porque parte-se da premissa que trabalhar grupos musculares de formas isoladas podem-se gerar um desequilíbrio muscular, tornando alguns grupamentos mais fortes do que outros. Por exemplo, é comum encontrar mulheres que por treinarem seus músculos extensores de pernas mais que seus flexores que são posteriores aos músculos mais forte, sofrerem com dor na articulação dos joelhos.

O treinamento funcional opta por trabalhar o corpo como um todo, justamente para evitar estes eventuais desequilíbrios que poderiam surgir com a fragmentação do treino. É baseado em movimentos do nosso cotidiano, movimentos “funcionais” simples como agachar, puxar, levantar, girar e outros movimentos básicos que executamos no dia a dia. Utiliza normalmente equipamentos básicos como elásticos, bolas, plataformas e outros que você pode facilmente adquirir e manter em sua casa.

Com o treinamento funcional não apenas força é trabalhada. Diversas valências também são estimuladas durante uma sessão de treinamento tais como: Agilidade, coordenação, equilíbrio, lateralidade, reflexo, condicionamento cardiorespiratório e resistência. Praticantes do treinamento funcional afirmam que realizam atividades do seu dia dia de uma forma mais ágil, segura e com maior facilidade do que quando treinavam os músculos apenas de forma isolada na musculação, pois nos movimentos do dia a dia não trabalhamos um músculo isolado, e sim todo um conjunto que deve estar em harmonia para funcionar de forma adequada.

Ou seja, não adianta ter muita força em alguns músculos se você não possui força nos grupamentos musculares complementares. O conjunto fica desforme e com isso este desequilíbrio pode se tornar um fator relevante a uma lesão. Daí a importância e relevância de muito para o treinamento funcional. O seu poder de harmonizar e equilibrar a forca muscular como um todo entre os grupamento musculares. Isso sem falar em umas das principais relevâncias quando comparados ao treinos de musculação. O treinamento funcional possui grande poder de dinamismo, ao contrário do seu principal concorrente, que é tachado em sua maioria como monótono.

Dentro desta filosofia de treino, existem diferentes “modalidades”, que enfatizam diversos estímulos e prioridades. Temos, por exemplo, o Core Training, defendendo que um trabalho com foco na musculatura do tronco seria essencial pois eles são utilizados como base para qualquer movimento, inclusive para movimentos envolvendo braços e pernas. Trabalhar a região do tronco (ou Core) seria como construir uma estrutura sólida para depois montar uma casa em cima: se a base não for sólida, pode não agüentar o que está por vir.

Nesta mesma linha temos os chamados “exercícios de PLANK”, que estão virando moda. São exercícios onde se utiliza a região abdominal como base de sustentação. Com certeza você já utilizou a “metodologia PLANK”, mas não está ligando o nome à pessoa. Por exemplo, um simples exercício de “prancha” é a base do PLANK. Para quem é mais hardcore, é possível trabalhar todos os músculos do seu corpo em posições onde também se trabalhe a região abdominal ao mesmo tempo. Quando você já estiver com a região abdominal fortalecida, pode exercitar o resto dos músculos do seu corpo em posições que exijam, ao mesmo tempo, um trabalho da musculatura abdominal para sustentar o corpo nesta posição. Com isso você trabalha a musculatura abdominal de forma mais eficiente do que na musculação em cada exercício. Normalmente se fazem menos repetições (entre 6 e 8) com mais peso (me média 85% da capacidade) com intervalos mais curtos (em média 30 segundos). Mas, não existe fórmula, cada aluno precisa ser individualmente avaliado para ter um treinamento efetivo prescrito.

E aí que agora você deve estar esperando minha opinião certo? O treinamento funcional tem comprovadamente sua eficiência, ou seja, não é um modismo e certamente veio pra ficar ao contrário do que muitos dizem.

Porém, sua adequação a cada aluno e a seus objetivos deve ser estudada com critérios. Alguns alunos não se adaptam, outros adoram. Alguns objetivos são facilmente alcançados, de forma mais rápida do que com treino convencional, outros necessitam de uma atividade complementar.

Experimente, pratique o treinamento funcional e veja o quanto você se adapta a esta rotina. Em sua grande maioria quem experimenta se identifica e adere a modalidade como uma rotina diária. Você só vai saber o que é bom pra você se colocar seu corpo em contato direto com a modalidade.

, , ,

About Author

Personal trainer e proprietátio da empresa Oseupersonal.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *