Você já ouviu falar de hipoglicemia de rebote? Talvez você não esteja ligando o nome à pessoa, mas talvez já tenha experimentado suas conseqüências.

Cena comum: pessoa chega na academia sem ter se alimentado corretamente por falta de tempo ou qualquer outro motivo. Pessoa pensa “Hoje não pude comer nada, vou comer uma barra de chocolate que vai me dar energia para treinar”. Pessoa come uma barra de chocolate e treina. Pessoa sente fraqueza ou algum mal estar não entende porque está se sentindo assim, acabando por culpar seu personal: “Você me rogou uma praga, hein? Foi só eu comer um chocolate que fiquei passando mal!”

Não, não foi o seu personal. Foi a hipoglicemia de rebote. Vamos entendê-la, para aprender a evitá-la. Primeiro precisamos entender o que é “índice glicêmico”. Os carboidratos tem diferentes índices glicêmicos e são divididos comumente em carboidratos de ALTO índice glicêmico e carboidratos de BAIXO índice glicêmico. O índice glicêmico não está relacionado com a quantidade de açúcar daquele alimento e sim com a VELOCIDADE com a qual aquele açúcar será absorvido pelo seu organismo.

Então, um carboidrato com ALTO índice glicêmico será absorvido com rapidez pelo seu organismo. Ao comer carboidratos de alto índice glicêmico, liberamos uma grande quantidade de insulina no nosso corpo como resposta: entra muito açúcar (rápida absorção, lembra?) logo, libera muita insulina, que,para quem não ligou o nome à pessoa, é o hormônio responsável por retirar o açúcar do seu sangue e transportá-lo para o interior das células.

Graças a esta grande liberação de insulina que é provocada, pode ocorrer um desequilíbrio. A grosso modo, podemos dizer que o corpo, na tentativa de minimizar a “crise do açúcar” que você provocou, acaba tirando açúcar demais, errando a mão. Com isso você se sente fraco e revoltado, porque você comeu um chocolate, fonte de energia, não era para se sentir assim! Pois foi justamente essa fonte abrupta de energia que quebrou o equilíbrio e fez seu organismo te sabotar. Para completar, durante a atividade física, você “consome” glicose, baixando aquilo que já estava baixo em seu organismo.

Pense no açúcar como um incêndio e na insulina como os bombeiros. Se você provoca um incêndio enorme, vários bombeiros correrão até o local e usarão muita água para apagar o fogo. Se você provocar um pequeno incêndio, um bombeiro com um extintor dá conta do recado. Quando você provoca um grande incêndio de glicose, é preciso muitos bombeiros-insulina para controlar a situação, e pode acontecer deles apagarem demais o fogo.

Por isso, o melhor a se comer antes do treino são CARBOIDRATOS DE BAIXO ÍNDICE GLICÊMICO, que vão liberando açúcar aos poucos no seu organismo, sem criar esse furor de insulina que acaba te enfraquecendo. Entre uma e meia hora antes do treino, procure comer apenas carboidratos de baixo índice glicêmico e alguma fonte de proteína. Dica: os carboidratos integrais somados às proteínas costumam liberar energia aos poucos e como conseqüência promovem uma manutenção da glicemia durante o dia. Mas lembre-se, coma pelo menos meia hora antes do treino, pois algumas pessoas não conseguem efetuar uma digestão eficiente quando estão treinando. O sangue que você quer que vá para seu músculo estará muito ocupado no seu estômago, focado na digestão. Se precisar comer algo minutos antes do treino, opte por líquidos, como por exemplo, água de coco.

E se você se esqueceu do que leu aqui e fez a bobagem de comer uma barra de chocolate dez segundos antes do treino e agora está se sentindo fraco, não se desespere. Basta ingerir carboidratos durante seu treino para ir repondo o que sua insulina está te tomando. Não é o ideal, porque você bagunça seu organismo, mas com certeza é melhor do que desmaiar.

Recapitulando: devemos comer antes do treino sim, porém ao menos meia hora antes e devemos dar preferência a carboidratos com baixo índice glicêmico. E não vá pensando que só o chocolate tem alto índice glicêmico, vários alimentos aparentemente inofensivos tem alto índice glicêmico, como por exemplo a melancia, a abóbora e o abacaxi. O índice glicêmico deles é maior do que o do macarrão, do arroz branco e da pipoca!

Os alimentos mais populares que são campeões de índice glicêmico alto e devem ser evitados são: pão francês, sucrilhos e… pasmem! Algumas BARRAS DE CEREAIS. Por isso muito cuidado para não sabotar seu treino! Amigos do pré-treino com índice glicêmico baixo: cenoura crua, batata doce, iogurte e arroz integral. Consulte uma tabela com o índice glicêmico dos alimentos para escolher bem sua alimentação pré-treino!

Para dúvidas, sugestões ou informações de treinos: contato@oseupersonal.com.br

Curta nossa Fanpage: www.facebook.com/Oseupersonal

Siga-me no twitter: www.twitter.com/Oseupersonal

Instagram: Instagram.com/Oseupersonal

,

About Author

Personal trainer e proprietátio da empresa Oseupersonal.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *