Não leve gato por lebre.
Não leve gato por lebre.

Quando a gente vê um alimento light acabamos presumindo que, só pelo fato de ser light, quer dizer que ele não será “engordativo”. Muito cuidado pessoal, pois o fato de um alimento ser light muitas vezes não basta para que possamos comê-lo sem prejudicar uma dieta, seja ela voltada para saúde ou para emagrecimento. Tem alimento light que não é saudável e tem alimento light que engorda!

Primeiro vamos entender a diferença entre diet e light. Um alimento DIET é aquele que não contém determinado nutriente ou substância, por exemplo, um chocolate feito para diabéticos que não contém açúcar. O light é um alimento que possuí menos quantidade de algum nutriente quando comparado com sua versão normal. Tenha em mente que nem alimento diet nem light são garantia de que você não vai engordar ao ingeri-los.

Vamos analisar mais de perto o que faz de um alimento ser LIGHT. Um alimento ganha o direito de ostentar um “Light” em sua embalagem quando ele tem uma redução de, pelo menos, 25% de um de seus nutrientes quando comparado com o mesmo alimento na versão normal. Por exemplo, se um determinado alimento tem X quantidade de gordura, sua versão light terá que conter, pelo menos, 25% a menos da quantidade X de gordura.

O grande problema é que o alimento pode ter de fato a gordura reduzida porém conter muito açúcar ou, o que é mais comum, muito sódio, o que algumas vezes o torna ainda mais prejudicial à sua dieta do que um alimento comum. Ainda que o alimento light tenha, no todo, 25% a menos de calorias do que o alimento comum, muitas vezes ele pode continuar contra-indiciado para sua dieta, pois 25% de muito continua sendo muito. Isso mesmo, existem produtos que mesmo engordando 25% a menos, ainda engordam significativamente, a ponto de serem proibidos para quem está de dieta, ao menos de forma rotineira.

Não pense que só porque está escrito “light” você tem carta branca para sair comendo, olhe com atenção os valores nutricionais daquele alimento. O chocolate light, por exemplo, costuma ser contra-indicado para quem está fazendo dieta. E não pensem que o diet se sai melhor: por não ter açúcar, geralmente vem com mais gordura, que no fim das contas acaba sendo ainda pior do que o açúcar em matéria de balança (1g de açúcar se transforma em 4 calorias, 1g de gordura se transforma em 8 calorias, o dobro).

Primeiro passo na análise do alimento light: descobrir o que o faz light, ou seja, qual é a substância que ele tem reduzida em, pelo menos, 25% quando comparado com a sua versão normal. Pode ser que a substância reduzida nem ao menos seja “engordativa”. Um alimento pode ser light pelo simples fato de ter 25% a menos de cafeína que sua versão normal, contendo a mesma quantidade de açúcar que sua versão normal. É isso aí, as empresas sabem que light vende muito, então reduzem qualquer coisa só para colocar o rótulo de “light” e aumentar as vendas. Não se deixe enganar.

Depois que você identificar qual é a substância que tem seu percentual reduzido no alimento, verifique a quantidade das demais substâncias, principalmente de gordura, açúcar e sódio. Muitas vezes para reduzir a gordura as empresas acabam colocando uma quantidade obscena de sódio como forma de compensar no sabor. Outro dia vi uma lasanha congelada que se dizia light, colocava em letras garrafais que continha apenas 300 calorias, e na tabela nutricional, em letras bem pequenas, dizia a quantidade de sódio, que equivalia a 75% das necessidades diárias de um ser humano. Muito cuidado com produtos congelados light, eles costumam ser uma armadilha.

E mesmo quando o produto light é de fato menos calórico, é preciso prestar atenção ao seu consumo. É que a gente sente aquela sensação de consciência leve e se permite comer mais porque o produto é light, mas quando vai fazer as contas acaba vendo que este excesso pesou mais do que se tivesse comido um produto normal. A sensação de saciedade que o produto light gera também deve ser levada em conta, porque se você precisa de três vezes a quantidade do normal para se saciar com o light, provavelmente engordará menos se comer o normal.

Não quero vilanizar os produtos light, eles podem ser de grande valia na sua dieta. Mas é preciso que fiquemos atentos, para compreender como usá-los e tirar melhor proveito do que eles tem para nos oferecer. Produto light não é carta branca para comer o quanto quiser nem para comprar sem analisar os valores nutricionais. Observe o produto como um todo e avalie se ele compensa no cômputo geral da sua dieta.

Para dúvidas, sugestões ou informações de treinos: contato@oseupersonal.com.br
Curta nossa Fanpage: www.facebook.com/Oseupersonal
Siga-me no twitter: www.twitter.com/Oseupersonal
Instagram: Instagram.com/Oseupersonal

, , ,

About Author

Personal trainer e proprietátio da empresa Oseupersonal.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *