Quando você executa um exercício para determinado grupamento muscular, recruta um número de fibras que executarão o movimento e se beneficiarão dele através do ganho de massa. O que talvez você não saiba é que dependendo da forma como se realize o movimento, diferentes fibras podem ser solicitadas.

Exemplo: você está treinando ombro. Se você fizer um exercício em um aparelho, recrutará determinadas fibras. Se fizer o mesmo movimento, mas com halter, recrutará fibras diferentes. Se fizer o mesmo movimento em aparelhos com polia ou isocinéticos (por exemplo o cross, aquele com cordas e puxadores), recrutará fibras diferentes também. Perceberam onde eu quero chegar? Para trabalhar o maior número de fibras possíveis e consequentemente obter resultados de forma mais rápida e mais visível, você pode variar a forma de execução do exercício.

Cada escolha tem suas vantagens e desvantagens. Aparelhos permitem que você consiga executar o movimento com mais peso, porém geralmente trabalham menos fibras musculares em quantidade, de modo que você trabalha uma menor quantidade de fibras com mais intensidade. Pesos livres geralmente permitem maior amplitude de movimento, o que recruta mais fibras, só que demandam mais esforço para execução, sobretudo pela questão do equilíbrio, quase sempre implicando na redução do peso.

Muito se discute sobre qual seria “a melhor” modalidade. A melhor é: todas. Variação. Treinou tríceps uma ou duas semanas na corda? Faça com halter na semana seguinte. Depois faça em um aparelho. Assim você trabalhará o máximo de fibras possíveis e verá resultados mais consistentes. Quando você passa meses trabalhando um grupo muscular com o mesmo estímulo, seja ele em aparelho ou em trabalho livre, usa um número limitado de fibras. Vai obter resultados, porém teria resultados melhores se recrutasse o maior número possível de fibras musculares através da variação de estímulos.

Não digo isto para que você, por conta própria, comece a inovar e substituir seus exercícios, até porque muitas destas substituições podem ser contra-indicadas para você. Minha intenção é que você converse a respeito desta possibilidade com o seu professor e avalie-se, para o seu objetivo e suas atuais condições, vale a pena realizar esta alternância de estímulos. Repito: não faça estas substituições por conta própria, os exercícios correspondentes não são tão simples de determinar e muitas vezes é preciso que o aluno tenha um grau elevado de força e consciência corporal.

Para dúvidas, sugestões ou informações de treinos: contato@oseupersonal.com.br
Curta nossa Fanpage: www.facebook.com/Oseupersonal
Siga-me no twitter: www.twitter.com/Oseupersonal
Instagram: Instagram.com/Oseupersonal

, , , ,

About Author

Personal trainer e proprietátio da empresa Oseupersonal.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *